Mostrando publicaciones etiquetadas como Brasil.
x
Ask me anything   Tales from a girl near the center of the earth. Ando cerca de la latitud 60 y tengo algunos cuentos que contar. Arte.Foto.Poesia.Muerte.Saudade. Musica.Three Languages.

Fiebre de música psicodélica de brasil. #brasil #portugues #vinilo #vinyl #tropicaliainfurs

Fiebre de música psicodélica de brasil. #brasil #portugues #vinilo #vinyl #tropicaliainfurs

— hace 3 meses
#vinilo  #portugues  #brasil  #tropicaliainfurs  #vinyl 
Na Amazônia com Converse.
—-
Minimamente punkrocker.
 
Foto Edu Simões

Na Amazônia com Converse.

—-

Minimamente punkrocker.

 

Foto Edu Simões

— hace 1 año con 6 notas
#punk  #amazon  #amazonia  #brasil  #edu simoes 

Me dejaré morir en tu silecio…
Me dejaré morir en tu silencio,que de noche me diste de comerlos frutos del cerezoen tu alcoba de sombrassangrantes de perfumey nada más deseo.Me dejaré morir en tu silencio.
"Kampa" 1986

                                  -  Clara Janés


Foto Paulo Nozolino 

Me dejaré morir en tu silecio…

Me dejaré morir en tu silencio,
que de noche me diste de comer
los frutos del cerezo
en tu alcoba de sombras
sangrantes de perfume
y nada más deseo.

Me dejaré morir en tu silencio.

"Kampa" 1986

                                  -  Clara Janés

Foto Paulo Nozolino 

— hace 1 año con 23 notas
#paulo nozolino  #clara janes  #amor  #silencio  #blanco y negro  #Black and White  #legs  #bed  #poesia  #poema  #español  #españa  #brasil 
When I get to São Paulo, this is where we will meet. The color of our shoes: green.
Com uma nota que diz: Este é o lugar onde nos encontraremos, com sapatos de cor verde para que eu possa vê-lo de frente

Foto Carolina Callegari

When I get to São Paulo, this is where we will meet. The color of our shoes: green.

Com uma nota que diz: Este é o lugar onde nos encontraremos, com sapatos de cor verde para que eu possa vê-lo de frente

Foto Carolina Callegari

— hace 1 año con 10 notas
#brasil  #brasilianwednesday  #brazil  #sao paulo  #carolina callegari  #behance  #me 
“What are men compared to rocks and mountains?
            ― Jane Austen, Pride and Prejudice
——
Si Jane Austen hubiese sido Brasileña hubiese dicho “What are men compared to Oscar Neimeyer’s architecture?”
 Se Jane Austen teria sido brasileiro ela teria dito “What are men compared to Oscar Neimeyer’s architecture?”

Foto Bernie DeChant

“What are men compared to rocks and mountains?

            ― Jane AustenPride and Prejudice

——

Si Jane Austen hubiese sido Brasileña hubiese dicho “What are men compared to Oscar Neimeyer’s architecture?”

 Se Jane Austen teria sido brasileiro ela teria dito “What are men compared to Oscar Neimeyer’s architecture?”

Foto Bernie DeChant

— hace 1 año con 4 notas
#oscar neimeyer  #brasil  #brasilia  #jane austen  #quote  #bernie dechant  #photography 
He estado viendo los trabajos de fotografos Brasileiros y Puertorriqueños todo el dia de hoy. Mañana se los comparto.
Today I have been going through the works of Brasilian and Puertorrican photographers, all day! Tomorrow I´ll share some with you all.
——
p.d. Necesito volver a escribir :-( - p.s. I need to come back to writing.
——
Foto  Larissa Grace

He estado viendo los trabajos de fotografos Brasileiros y Puertorriqueños todo el dia de hoy. Mañana se los comparto.

Today I have been going through the works of Brasilian and Puertorrican photographers, all day! Tomorrow I´ll share some with you all.

——

p.d. Necesito volver a escribir :-( - p.s. I need to come back to writing.

——

Foto  Larissa Grace

— hace 1 año con 7 notas
#Larissa Grace.  #brasil  #minas gerais  #puerto rico  #me  #photography  #light  #flickr 
QUASE UMA POESIA

It’s Brasilian tuesday. Es Martes brasileño. Este viene de unos de mis tumblrs de poesía favoritos. One of my fav. poetic tumblrs.

poesialudica:

Sei lá

Qual o valor de um beijo

Sei lá o que nos toma nesse relampejo,

Mas posso dizer que meus sentidos vêm

Em um momento de luz em minhas pálpebras fechadas

Sei lá se deve vir do além

Ou porque deixa as coisas tão iluminadas.

(Daniel Canhoto)

— hace 1 año con 4 notas
#brasil  #portugues  #poesia  #poeta  #poema  #daniel canhoto 

A morte absolutaMorrer.Morrer de corpo e de alma.Completamente.Morrer sem deixar o triste despojo da carne,A exangue máscara de cera,Cercada de flores,Que apodrecerão – felizes! – num dia,Banhada de lágrimasNascidas menos da saudade do que do espanto da morte.Morrer sem deixar porventura uma alma errante…A caminho do céu?Mas que céu pode satisfazer teu sonho de céu?Morrer sem deixar um sulco, um risco, uma sombra,A lembrança de uma sombraEm nenhum coração, em nenhum pensamento,Em nenhuma epiderme.Morrer tão completamenteQue um dia ao lerem o teu nome num papelPerguntem: “Quem foi?…”Morrer mais completamente ainda,– Sem deixar sequer esse nome.


                              -Manuel Bandeira

Foto: alison scarpulla


A morte absoluta

Morrer.
Morrer de corpo e de alma.
Completamente.

Morrer sem deixar o triste despojo da carne,
A exangue máscara de cera,
Cercada de flores,
Que apodrecerão – felizes! – num dia,
Banhada de lágrimas
Nascidas menos da saudade do que do espanto da morte.

Morrer sem deixar porventura uma alma errante…
A caminho do céu?
Mas que céu pode satisfazer teu sonho de céu?

Morrer sem deixar um sulco, um risco, uma sombra,
A lembrança de uma sombra
Em nenhum coração, em nenhum pensamento,
Em nenhuma epiderme.

Morrer tão completamente
Que um dia ao lerem o teu nome num papel
Perguntem: “Quem foi?…”

Morrer mais completamente ainda,
– Sem deixar sequer esse nome.


                              -Manuel Bandeira


Foto: alison scarpulla

— hace 1 año con 13 notas
#manuel bandeira  #brasil  #portugues  #poesia  #poema  #poetica  #alison scarpulla 

Como acordar sem sofrimento?Recomeçar sem horror?O sono transportou-meàquele reino onde não existe vidae eu quedo inerte sem paixão.


Como repetir, dia seguinte após dia seguinte,a fábula inconclusa,suportar a semelhança das coisas ásperasde amanhã com as coisas ásperas de hoje?


Como proteger-me das feridasque rasga em mim o acontecimento,qualquer acontecimentoque lembra a Terra e sua púrpurademente?


E mais aquela ferida que me inflijoa cada hora, algozdo inocente que não sou?Ninguém responde, a vida é pétrea.

                      -Por Carlos Drummond de Andrade

Foto Lyonel Feininger
Como acordar sem sofrimento?
Recomeçar sem horror?
O sono transportou-me
àquele reino onde não existe vida
e eu quedo inerte sem paixão.
Como repetir, dia seguinte após dia seguinte,
a fábula inconclusa,
suportar a semelhança das coisas ásperas
de amanhã com as coisas ásperas de hoje?
Como proteger-me das feridas
que rasga em mim o acontecimento,
qualquer acontecimento
que lembra a Terra e sua púrpura
demente?
E mais aquela ferida que me inflijo
a cada hora, algoz
do inocente que não sou?
Ninguém responde, a vida é pétrea.
                      -Por Carlos Drummond de Andrade

— hace 1 año con 4 notas
#brasil  #Carlos Drummond de Andrade  #poeta  #poema  #poesia  #Lyonel Feininger